O ETHOS DO ASSISTENTE SOCIAL NA PERSPECTIVA GRAMSCIANA DE ESTADO

Ms. José Carlos Freire, Leonildo Machado

Resumo


O artigo discute o ethos do assistente social, como modo de serprofissional, a partir do conceito de Estado de Gramsci. Para isso, apresenta-seum paralelo entre o conceito de Estado “ampliado” em Gramsci no início doséculo XX e o conceito de Estado “restrito” de Marx e Engels em meados doséculo XIX. De ambas acepções de Estado decorrem as respectivas teoriasrevolucionárias: em Marx e Engels, no contexto do Manifesto do PartidoComunista, como insurreição armada e explosiva - tomada violenta do Estado;em Gramsci, como busca pela hegemonia – conquista processual. Tratamos porfim da diferenciação entre o ethos da perfectibilidade, que determina um fim apriori, e o ethos da mobilidade, que se constrói no cotidiano, na realidadeconcreta em que o assistente social se encontra. Desse modo, parece-noslegítimo aproximar o ethos da mobilidade com a abordagem do Estado“ampliado” em Gramsci, já que este autor compreende o movimento socialcomo um espaço aberto de luta pela conquista da hegemonia de determinadomodelo político e econômico.Palavras-chave: Gramsci. Estado. ethos. perfectibilidade. mobilidade.

Texto completo:

PDF


eISSN: 2176-0896

Locations of visitors to this page